Tag Archives: rosely nakagawa

Home / Posts tagged "rosely nakagawa"

Rosely Nakagawa fala sobre a edição de imagens

 

Rosely Nakagawa compartilha como foi a sua participação no processo de edição do fotolivro RIO GRANDES, de Pablo Pinheiro.  Ela comenta como é fazer parte da equipe onde cada um tem um papel importante na realização do projeto Uma Tradição nos Rio Grandes – a imagem do Vaqueiro Contemporâneo em transição.

 

Rosely também relata como se sentiu contribuindo com o seu olhar na seleção de fotografias e observa: “O papel do editor de imagens é estruturar para o trabalho para que ele cresça e fique cada vez mais independente”.

 

 

 

 

 

Parte II – Rio Grandes: imersão para a edição das imagens

No Rio Grande do Norte, a pecuária exerceu um importante papel na ocupação do semi-árido. Povoada desde o século XVIII, Acari, na região do Seridó, foi onde começou a vivência de Pablo Pinheiro com o vaqueiro sertanejo no projeto Uma Tradição nos Rio Grandes – a imagem do Vaqueiro Contemporâneo em transição, que recebeu o XIV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

 

Para compartilhar um pouco desta experiência, o fotógrafo propôs para toda a equipe sair do litoral para uma imersão em Acari. E foi neste ambiente que realizaram a edição das imagens para o fotolivro Rios Grandes.

 

O desfrute visual de vegetação e a experimentação do ecossistema onde atua o vaqueiro trouxeram algumas reflexões para o grupo, até mesmo questões de como a geografia e o calor influenciam no modo de viver e conviver. Para Pablo, foi muito importante reunir a equipe e estar na mesma realidade e ambiente nesta fase do projeto, uma experiência que ele definiu como ‘coletivo harmonizado': “Houve total cumplicidade para a elaboração do resultado, onde cada pessoa compreende a função e o espaço do outro no projeto e percebe-se como um complemento”, diz.

 

 

Juntar toda a equipe garantiu cumplicidade nesta etapa final. A edição de imagens de Rio Grandes é de Rosely Nakagawa, no entanto, todos vivenciaram o processo e saíram transformados. Para Pablo, todos souberam tirar proveito da imersão. “Cada um de nós tem a sua própria ferramenta, que juntando vira uma coisa só: o resultado. É um grande aprendizado”, completa.

 

Desta imersão no sertão, vale lembrar que de São Paulo vieram a editora de imagens Rosely acompanhada de seu marido — o artista Rubens Matuck — e também Luciano Valença, profissional da plataforma multimídia. Do litoral (Natal), estavam Pablo junto com Allan Marlon, que assina o visual do projeto e a produção de vídeos, e Tiago Lima, fotógrafo que vem documentando parte do processo do projeto.

 

Conviver, dormir, acordar, discutir, elaborar e assim, sair com um resultado. Este foi o objetivo. “É como se todos nós fôssemos parte de um esqueleto que agora ganhou corpo, músculos, sistemas e tecidos. Tudo vivo e funcionando”, comenta Pablo. “Agora é partir para a montagem do fotolivro e se preparar para viajar por seis cidades pelo Brasil e relatar a experiência”, conclui.

 

Encerrada a imersão, antes da despedida, um brinde aos momentos vividos em cumplicidade. A equipe volta ao litoral e dá uma pausa no restaurante Camarões. Ali se tornam novamente seres potiguares, comedores de camarão.

 

E deixaram as lembranças com a esperança de terem um bis.