Monthly Archives: julho 2015

Home / 2015 / julho

Depoimento de Lécio Santos da região do Seridó no RN

Lécio Santos é um dos responsáveis por administrar diversas propriedade da região do Seridó no RN.
Ele cresceu vendo e ouvindo o encontro semanal dos proprietários com os vaqueiros. “Várias crianças se juntavam na porta da bodega só para ouvir as histórias sobre a pega de boi no mato”.

 

A filmagem foi realizada durante a realização do projeto Uma Tradição nos Rio Grandes – a imagem do Vaqueiro Contemporâneo em transição.

 

 

 

Parte II – Rio Grandes: imersão para a edição das imagens

No Rio Grande do Norte, a pecuária exerceu um importante papel na ocupação do semi-árido. Povoada desde o século XVIII, Acari, na região do Seridó, foi onde começou a vivência de Pablo Pinheiro com o vaqueiro sertanejo no projeto Uma Tradição nos Rio Grandes – a imagem do Vaqueiro Contemporâneo em transição, que recebeu o XIV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

 

Para compartilhar um pouco desta experiência, o fotógrafo propôs para toda a equipe sair do litoral para uma imersão em Acari. E foi neste ambiente que realizaram a edição das imagens para o fotolivro Rios Grandes.

 

O desfrute visual de vegetação e a experimentação do ecossistema onde atua o vaqueiro trouxeram algumas reflexões para o grupo, até mesmo questões de como a geografia e o calor influenciam no modo de viver e conviver. Para Pablo, foi muito importante reunir a equipe e estar na mesma realidade e ambiente nesta fase do projeto, uma experiência que ele definiu como ‘coletivo harmonizado': “Houve total cumplicidade para a elaboração do resultado, onde cada pessoa compreende a função e o espaço do outro no projeto e percebe-se como um complemento”, diz.

 

 

Juntar toda a equipe garantiu cumplicidade nesta etapa final. A edição de imagens de Rio Grandes é de Rosely Nakagawa, no entanto, todos vivenciaram o processo e saíram transformados. Para Pablo, todos souberam tirar proveito da imersão. “Cada um de nós tem a sua própria ferramenta, que juntando vira uma coisa só: o resultado. É um grande aprendizado”, completa.

 

Desta imersão no sertão, vale lembrar que de São Paulo vieram a editora de imagens Rosely acompanhada de seu marido — o artista Rubens Matuck — e também Luciano Valença, profissional da plataforma multimídia. Do litoral (Natal), estavam Pablo junto com Allan Marlon, que assina o visual do projeto e a produção de vídeos, e Tiago Lima, fotógrafo que vem documentando parte do processo do projeto.

 

Conviver, dormir, acordar, discutir, elaborar e assim, sair com um resultado. Este foi o objetivo. “É como se todos nós fôssemos parte de um esqueleto que agora ganhou corpo, músculos, sistemas e tecidos. Tudo vivo e funcionando”, comenta Pablo. “Agora é partir para a montagem do fotolivro e se preparar para viajar por seis cidades pelo Brasil e relatar a experiência”, conclui.

 

Encerrada a imersão, antes da despedida, um brinde aos momentos vividos em cumplicidade. A equipe volta ao litoral e dá uma pausa no restaurante Camarões. Ali se tornam novamente seres potiguares, comedores de camarão.

 

E deixaram as lembranças com a esperança de terem um bis.

 

Clipping: Fotos do projeto Rio Grandes está no Pioneiro

O Pioneiro destacou na editoria “Ensaio da contracapa” de 1 de junho de 2015  as fotos do projeto de Pablo Pinheiro que relaciona imagens de vaqueiros do Rio Grande do Norte e do Rio Grande do Sul. Uma Tradição nos Rio Grandes – a imagem do Vaqueiro Contemporâneo em transição. 

 

O fotógrafo esteve no Rio Grande do Sul para uma imersão no cotidiano do vaqueiro para captar imagens desta atividade secular do Brasil.

 

O projeto foi contemplado com o Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

Veja a notícia neste link.

 

clipping-projeto-rio-grandes-pablo-pinheiro

Depoimento do Chico Bastos, do Rio Grande do Sul

 

Chico Bastos, da Cabanha do Barulho, é um dos principais criadores de cavalo crioulo no Rio Grande do Sul.

 

 

Neste vídeo ele fala das semelhanças entre os vaqueiros do sertão do nordestino e da Serra gaúcha. A principal delas, a alegria: “Você vê nos olhos e na cara das pessoas boas e gostando do que fazem”.

 

A filmagem foi realizada pelo fotógrafo Pablo Pinheiro durante a realização do projeto “Uma tradição nos Rio Grandes – a imagem do Vaqueiro Contemporâneo em transição“, contemplado pelo XIV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

 

Veja outros depoimentos clicando aqui.

 

 

 

Parte I – Rio Grandes: o encontro para a edição das imagens

Um momento aguardado com alegria. A fase final do projeto “Uma Tradição nos Rio Grandes – a imagem do Vaqueiro Contemporâneo em transição” e o entusiasmado encontro de toda a equipe em Natal-RN para a edição de imagens do fotolivro “Rio Grandes“, que será lançado em agosto.

 

Embora conectados durante processo, agora sim, todos juntos em corpo presente. A tecnologia promoveu diálogos e sinergia por meio de e-mails, mensagens de voz, encontros na rede virtual, mas é sempre uma alegria estarem juntos.

 

De São Paulo chegaram a editora de imagens Rosely Nagayama (acompanhada do marido) e Luciano Valença, o profissional da multimídia. Do lado de cá, em Natal, o autor Pablo Pinheiro; o fotógrafo Tiago Lima, que documentou todo o processo desta etapa; e Allan Marlon, que assina o visual do projeto — o que inclui o design gráfico e a edição de vídeos.

 

Equipe do projeto Uma tradição nos Rio Grandes no Restaurante Camarões em Natal, RN

Equipe do projeto Uma tradição nos Rio Grandes no Restaurante Camarões em Natal, RN

 

O estado do Rio Grande do Norte oferece uma incrível vivência sensorial. Partindo do litoral da capital até a cidade de Acari, no semi-árido, nossa jornada imersiva teve início fomentando o desejo pela iguaria local: o camarão. Nada mais justo do que celebrarmos este momento de união em território potiguar, experimentando como é ser um potiguar: “comedores de camarão”. Assim, o primeiro encontro da equipe é ao redor da mesa do restaurante Camarões, referência da cidade de Natal.

 

O caminho até a região do Seridó é diverso e longo (cerca de 239 km). Aos poucos, a paisagem da mata atlântica cede lugar aos arbustos, cactos e pedregulhos característicos de um visual árido. É neste ambiente de calor e também de acolhida que se faz o mergulho no sertão rico de referências ao próprio trabalho desenvolvido por Pablo Pinheiro. Ali transformaram a vivência do artista com vaqueiro e sua lida com o boi em uma história visual.

 

Vaqueiros do Seridó

 

 

Crédito: Pablo Pinheiro

Foto: Pablo Pinheiro